Luis Fabiano Clemente nasceu no dia 8 de novembro de 1980, no bairro de Jardim Proença, em Campinas. Poucos anos depois, nos campos de terra batida do mesmo bairro nasceria o artilheiro Luis Fabiano. Desde pequeno, o brinquedo preferido era a bola e a principal diversão estufar as redes adversárias. Os primeiros chutes foram dados em um campo de terra próximo a casa em que morava, conhecido como "Buracanã", que como o próprio nome sugere ficava em uma área rebaixada e fazia os garotos sonharem em um dia jogar no maior estádio do mundo.

De lá Luis Fabiano foi direto para os campos de várzea de Campinas onde atuou por equipes amadoras como Alvorecer e Arco-íris. As partidas do artilheiro eram sempre acompanhadas de perto pelo avô Benedito, o maior incentivador de sua carreira. Nesse período, Luis Fabiano curiosamente atuava em outra posição: a meia-direita.

Mas para se tornar um jogador profissional, Luis teve que superar algumas barreiras, que quase o fizeram desistir do sonho. Com apenas 14 anos, em sua primeira tentativa de se tornar profissional, foi dispensado da equipe infantil do Guarani. Triste, ficou sem jogar durante um ano. Nesse período pensou em desistir, mas, em 1995, surgiu juma nova oportunidade de voltar aos gramados por um convite de um amigo que jogava na equipe juvenil do Ituano. Luis Fabiano passou no teste e, um ano depois, transferiu-se para a Ponte Preta, realizando um sonho antigo do avô que era torcedor fanático da Macaca.

Na Ponte, Luis Fabiano teve um crescimento rápido: despontou na Copa São Paulo de Juniores de 1998, quando a Ponte Preta foi vice-campeã, perdendo do Internacional (RS) nos pênaltis. Sagrou-se vice-artilheiro da competição, com cinco gols, e foi eleito um dos destaques da Copa daquele ano. Ainda em 98, estreou pela equipe profissional da Macaca e transformou-se em um dos principais artilheiros da equipe. Participou da campanha que levou a Ponte de volta à 1ª divisão do Campeonato Paulista e do plantel que levou o time campineiro às finais do Campeonato Brasileiro de 1999. Permaneceu na Ponte até o ano de 2000, quando se transferiu para o Rennes da França.

Com apenas 19 anos de idade, Luis Fabiano ficou no clube francês por um semestre, mas não teve muitas oportunidades de atuar. Em 2001, apareceu a chance de voltar a jogar no Brasil. O São Paulo o contratou por empréstimo e Luis Fabiano realizou uma boa temporada. Logo no jogo de estréia como titular, contra o Botafogo, no Maracanã, marcou dois gols e ajudou a equipe a conquistar o título do Torneio Rio-São Paulo. No total, marcou 30 gols em 49 jogos em 2001, com média de 0,61 gol por jogo.

No primeiro semestre de 2002, o artilheiro voltou ao Rennes, que ainda detinha os seus direitos federativos, mas permaneceu por apenas seis meses, pois na segunda metade do ano foi contratado em definitivo pelo São Paulo Futebol Clube.
SELEÇÃO BRASILEIRA

Pela Seleção Brasileira, Luís Fabiano recebeu sua primeira convocação em um amistoso contra a Nigéria em 2003, quando estava em grande fase pelo São Paulo. Neste jogo, Luís Fabiano marcou um gol. Depois disso passou a receber algumas outras convocações para as eliminatórias da Copa do Mundo e outros amistosos, como um contra a Hungria, onde ele marcou dois gols.

Foi convocado para disputar a Copa América de 2004, na qual foi titular e talvez o grande nome do Brasil para o torneio. Mas quem acabou brilhando mesmo foi o atacante Adriano, que foi o grande heroi do título.

Em novembro de 2007, o atacante Afonso Alves, convocado para a disputa das eliminatórias, sofreu uma contusão, e o técnico Dunga, acabou chamando Luís Fabiano para substituí-lo.

Ele enfim voltou a jogar pela Seleção, após entrar no segundo tempo do jogo diante do Peru, que terminou empatado. Mas o melhor ainda estava reservado para ele: No jogo contra o Uruguai, em pleno Morumbi, Luís Fabiano foi escalado como titular e marcou os dois gols da vitória de 2 a 1.

O ano de 2008 foi mágico para Luís Fabiano na seleção. Além de ótimos desempenhos e gols com a camisa canarinho, o ex-são paulino fechou o calendário brasileiro neste ano em grande estilo: fez três dos seis gols da seleção contra Portugal, em um amistoso realizado no Brasil e foi o artilheiro da seleção no ano.

Em 2009, na disputa da Copa das Confederações, Luís Fabiano terminou como artilheiro, com cinco gols em cinco jogos, além de ter sido eleito o segundo melhor jogador da competição.
De volta à Europa - PORTO FC

No segundo semestre de 2004, Luis Fabiano voltou ao futebol europeu com o objetivo de ser reconhecido como um dos melhores atacantes do mundo. E para alcançar esse objetivo não haveria uma equipe melhor do que o FC Porto, então campeão europeu e português.

Em sua chegada, Luis Fabiano foi recebido por três mil torcedores no estádio do Dragão, na cidade do Porto. Entretanto, sua passagem pela equipe portuguesa foi apagada: ele não se firmou na equipe e viveu uma de suas piores fases. Em 2005, foi contratado pelo Sevilla.

Na Espanha, voltou a jogar melhor, e passou a jogar - e marcar gols - com maior frequência na equipe que conquistou a Copa da Uefa em 2005/06, Supercopa Européia 2006 , Copa da UEFA 2006/2007, Copa da Espanha 2007, Supercopa Espanha 2007 , fora os torneios disputado pelo time na temporada, ganhou o prêmio de melhor jogador 2007 pelo Sevilla e por ai vai......
Nova fase - SÃO PAULO FUTEBOL CLUBE

O Campeonato Brasileiro de 2002 marcou o início de uma nova fase na carreira de Luís Fabiano. Satisfeito pelo fato da diretoria do São Paulo apostar em seu futebol e contratá-lo por um valor alto para os padrões nacionais (cerca de US$ 2 milhões), o jogador foi artilheiro da competição, com 19 gols, e passou a ter uma grande identificação com a torcida são-paulina. A média de gols do jogador também aumentou significativamente: em apenas um semestre, Luis Fabiano marcou 21 gols em 25 jogos - média de 0,84 gol por jogo.

Em 2003, Luis Fabiano foi artilheiro do campeonato paulista e vice-artilheiro do campeonato brasileiro e da Copa do Brasil. Mas o maior feito foi a contribuição do atacante para que o São Paulo atingisse um objetivo que o clube já perseguia há quase dez anos: voltar disputar a Taça Libertadores da América.

Em 2004, Luis Fabiano ajudou o São Paulo a chegar à fase semifinal da Taça Libertadores da América. O artilheiro ainda sagrou-se artilheiro da competição com oito gols.

Com apenas 23 anos, Luis Fabiano tornou-se um dos maiores artilheiros da história do São Paulo Futebol Clube. Com 118 gols em 160 partidas disputadas pelo tricolor, o jogador possui a segunda maior média de gols da história do clube (0,74 por jogo), atrás apenas do lendário Arthur Friendereich, considerado o Pelé dos anos 20.